Construir uma história #1

Em conversas que tenho com colegas de trabalho, tenho dito que ser editora de vídeo sem o ter gravado é muito diferente de estar no local do acontecimento a absorver toda a energia que flutua entre as pessoas, o ambiente, o clima e todas as emoções. Acontece-me quando edito histórias pessoais das quais não conheço os protagonistas. No final falta sempre algo.

A diferença entre a fotografia de casamento e o vídeo é precisamente a construção posterior dessa história. Como já trabalhei em ambos, é fácil identificar cada um dos seus propósitos. Em vídeo precisamos de construir de novo a história daquele dia. Somos os verdadeiros donos dele. Podemos torná-lo mais ou menos o que quisermos. Já tive situações de acontecimentos menos positivos durante o dia do casamento. Não é isso que a nossa memória quer lembrar, nem tão pouco o ambiente que pairou durante tanto tempo depois disso. Os videógrafos não podem nem devem deturpar a realidade, mas podem contá-la de várias formas.

Mas essa é também a verdadeira magia do vídeo: esse mundo de opções em que nos tornamos parte da história. Conversaremos daqui em diante sobre todas essas formas de estar e todos os desafios que vamos encontrando ao longo do dia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *